Sustentabilidade Energia Artigo

Energia limpa: entenda sua importância para empresas e meio ambiente

Saiba se toda energia limpa é renovável e qual é a capacidade brasileira de diversificar sua matriz energética

Por: Times de Energia e Sustentabilidade da Raízen Data: 09/09/2022 Tempo de leitura: 19 Minutos

Existem diferentes definições para energia limpa. De modo geral, é considerada limpa a fonte de energia renovável, gerada sem emissão de poluentes, causando o menor impacto ambiental possível, embora existente.

Quer um exemplo prático? Uma usina hidrelétrica gera energia limpa, mas, para isso acontecer, é necessário alagar toda uma área. A consequência disso são mudanças no clima, a possível extinção de algumas espécies e a migração de outras para lugares secos, e até mesmo o desmoronamento de barreiras.

O oposto de energia limpa é a energia não renovável. A obtenção desse tipo de energia afeta diretamente as pessoas e o planeta. Os exemplos mais usados no dia a dia são o carvão, o gás natural e os derivados do petróleo, fontes de origem da emissão de carbono e gases poluentes na atmosfera.

Quer saber mais sobre os tipos de energia limpa e seus reais impactos? Continue lendo.

Leia também: Bioenergia: qual é sua importância e por que é a energia do futuro.



Energia limpa e renovável são a mesma coisa?

Na verdade, elas são complementares.

Uma energia é considerada renovável quando provém de recursos naturais que não se esgotam e não precisam da interferência humana para continuarem existindo: o sol e a água da chuva, por exemplo. Se a energia renovável não causa emissão de gases de efeito estufa (também chamados GEE) em seu processo de geração energética, essa energia é limpa e renovável. Algumas dessas fontes são o vento, o sol, a água dos mares e a biomassa. 



Quais são as fontes de energia limpa?

Para garantir o acesso de todas as pessoas à energia limpa, oferecer geração energética diversificada acaba sendo imprescindível. Isso porque, assim como mencionamos anteriormente, nem todos os recursos renováveis são infinitos ou acessíveis em todos os lugares.

Para uma região seca, por exemplo, a energia hidrelétrica não seria a melhor escolha, assim como a energia eólica em regiões de pouco vento.

Conheça as características de cada fonte energética limpa nos tópicos abaixo.


Energia solar

Como o nome diz, é a energia do sol. Ela é captada através de painéis solares fotovoltaicos, que transformam essa luz em energia elétrica por meio do inversor solar. A eletricidade pode ser gerada diretamente a partir da luz (nos painéis fotovoltaicos) ou através do aproveitamento do calor (na usina heliotérmica).

A energia solar é limpa e renovável, mas tem sua pequena parcela de impacto ambiental, já que é necessário extrair e processar silício para a produção dos painéis. Apesar disso, o processo tem se tornado cada vez mais limpo à medida que são produzidos painéis com materiais alternativos.

Uma das grandes vantagens desta energia é que, além de produzir eletricidade para uso próprio, é possível redistribuir. A Raízen, por exemplo, oferece a Geração Distribuída, uma solução em que a energia é gerada em usinas solares espalhadas pelo Brasil e injetada na rede elétrica para chegar até sua empresa.


Energia eólica

A energia eólica é, também uma fonte inesgotável e resumidamente, produzida a partir do vento. Na verdade, é o movimento das eólicas (hélices) que movem uma turbina e fazem a transformação da energia mecânica para a elétrica.

As torres geralmente são instaladas em áreas rurais, sem impactar o cultivo dos agricultores. Pelo contrário, a presença delas contribui para a valorização dessas propriedades e ainda gera empregos.

O impacto ambiental das turbinas é praticamente mínimo, mas, ainda assim, sua presença pode causar poluição sonora e desequilíbrio na fauna local.


Energia hidrelétrica

Também conhecida como energia hidráulica, é uma fonte inesgotável, pois suas quantidades se renovam constantemente ao serem usadas. Além disso, é aquela em que se aproveita o movimento das águas, usando a força gravitacional para gerar eletricidade.

Cerca de 60% da matriz energética do Brasil provém de usinas hidrelétricas, graças ao seu alto desempenho e potencial hídrico, elas se dividem entre grandes hidrelétricas, Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) e Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGHs).


Energia nuclear

Não, você não leu errado. A energia nuclear é considerada uma energia limpa por não liberar gases do efeito estufa. Essa produção de energia acontece por fissão nuclear, em que o calor gerado aquece a água que se transforma em vapor. Esse vapor move as turbinas que, por sua vez, acionam um gerador, criando energia elétrica.

A grande questão da energia nuclear é a segurança. Ao longo da história, acidentes em usinas devastaram regiões e até mesmo países inteiros. O lixo descartado por essas instalações, composto majoritariamente por urânio, é extremamente perigoso e apresenta risco de contaminação mesmo anos após o uso.

Países que continuam produzindo energia nuclear geralmente fazem uso de alternativas limpas e mais seguras em menor escala, mas dependem da capacidade produtiva das usinas. Não faltam investimentos em tecnologia, ferramentas e protocolos para evitar qualquer tipo de acidente, mas os riscos seguem existindo.


Energia maremotriz

É a energia produzida com a força das ondas do mar - das marés e das correntes marinhas. De uma forma semelhante à energia eólica, esse movimento move turbinas instaladas nos mares, gerando energia elétrica.

Não é um tipo de energia muito conhecido porque seu custo de instalação não costuma compensar a pouca produtividade. Os riscos ambientais são quase nulos, mas a instabilidade das marés acaba inviabilizando a popularização dessa matriz energética.


Energia geotérmica

É a energia obtida do calor presente no interior da Terra. Assim como a energia citada anteriormente, a energia geotérmica é usada para mover uma turbina que transforma o movimento em energia elétrica. Para obter essa energia, é necessário perfurar o solo até o magma, que fica cerca de 65 km abaixo da superfície terrestre.

É o calor do centro da Terra que transforma a água em vapor e possibilita essa produção. A energia geotérmica é uma energia limpa, inesgotável e bastante inovadora, mas ainda assim inviabilizada pelos altos custos.


Energia do hidrogênio

O hidrogênio é considerado o elemento mais abundante do universo, portanto, ao ser usado como fonte de energia, é uma opção mais do que limpa e renovável: é inesgotável.

A energia do hidrogênio verde, como é chamado, é usada a partir do processo de eletrólise. Nesse caso, uma corrente elétrica separa o hidrogênio do oxigênio que existe na água. O uso desse componente como combustível e fonte de energia é alvo de diversas pesquisas e testes, pois não há emissão de gases poluentes na atmosfera. O desafio continua sendo a falta de investimentos, já que é uma operação de alto custo.


Energia da biomassa

A energia da biomassa é captada pela queima de materiais orgânicos, como: lenha, bagaço da cana-de-açúcar, cavaco de madeira, resíduos agrícolas, algas, restos de alimentos e até excremento animal. Essa é uma das energias geradas pela Raízen!

No Brasil, a biomassa mais utilizada para geração de eletricidade atualmente é oriunda da cana-de-açúcar, plantada e processada principalmente nas regiões Sudeste e Centro-Ooeste.

Para produzir essa energia, o processo é bastante parecido com as outras fontes que dependem do movimento. O vapor produzido pela combustão da matéria orgânica move uma turbina conectada a um gerador, e essa rotação gera a eletricidade.

Entre as principais vantagens do uso da biomassa estão o baixo custo, o reaproveitamento de resíduos orgânicos e, principalmente, seu impacto ambiental quase inexistente.

Dê o play e confira todo o poder transformador da biomassa!



Energia do biogás

O biogás tem a mesma origem da biomassa, ou seja, resíduos orgânicos. Para que essa matéria-prima se torne combustível e, posteriormente, energia elétrica, é necessário o uso de um biodigestor anaeróbico.

O biogás gera eletricidade quando o gás é convertido em energia mecânica por meio de combustão. Dessa combustão, um gerador é ativado, produzindo então a energia elétrica.

Além de uma fonte renovável, o biogás tem se mostrado uma opção de baixo custo para o consumidor final. Os investimentos nesse setor vêm crescendo, e alguns estados brasileiros estão adotando projetos para a produção da energia do biogás.



Qual é a importância da energia limpa?

Os impactos negativos das mudanças climáticas sobre a vida em nosso planeta já são uma realidade. Por isso, encontrar alternativas energéticas se tornou uma urgência.

Para acompanhar o avanço tecnológico e o consumo crescente de energia, a produção energética não pode parar. Ao mesmo tempo, é necessário considerar os impactos dessa produção, pensando ainda na disponibilidade de recursos e no que vamos deixar para as próximas gerações.

Países de proporções continentais, como o Brasil, ainda investem pouco em diferentes alternativas às hidrelétricas, mas as energias solar, eólica e da biomassa começam a ganhar espaço.

Empresas como a Raízen trabalham em inovação para levar as fontes de energia limpa cada vez mais longe, aproveitando ao máximo cada recurso. Como acreditamos por aqui, a resposta está sempre na natureza.



Quais são as vantagens da energia limpa?

Além de contribuir para o processo de descarbonização ao não emitir poluentes, a energia limpa tem vantagens produtivas, econômicas e sociais. Confira:

  • Os setores público e privado passam a estar mais comprometidos com a gestão dos seus impactos socioambientais, colaborando também com o ODS 7 “Energia Acessível e Limpa”, um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU
  • Gera maior autonomia energética, já que não há dependência de uma única fonte de fornecimento
  • Diversificação da matriz energética, usando menos fontes não renováveis que, por sua vez, são mais caras. Consequentemente, reduz os valores das contas!
  • Gera empregos e especialização em diferentes setores tecnológicos
  • Diminuição de problemas associado à saúde como a má qualidade do ar, água de demais recursos naturais
  • Baixo impacto na fauna, flora e ecossistemas
  • Não gera impactos sociais negativos, como realocação da população



Quais são as fontes de energia limpa mais usadas no Brasil?

O Brasil é considerado um país bastante promissor para a produção de modalidades de energia limpa, porque nosso território conta com uma grande variedade climática e geográfica.

Existem praias com bons ventos, assim como boas ondas. Também há regiões com forte incidência solar durante o ano todo e regiões em que a frequência de chuvas também é ideal.

De acordo com os dados do Balanço Energético Nacional 2021, a maior parte da energia elétrica brasileira tem origem nas hidrelétricas. A energia eólica vem crescendo bastante, assim como a biomassa, que já chega a quase 10% de toda a produção nacional. Confira o gráfico:



Por que as empresas investem em energia limpa e renovável?

O sistema de geração de energia sustentável gera, a longo prazo, uma boa economia mensal, atraindo cada vez mais os diversos setores do mercado pela redução dos custos, e, claro, dos impactos ambientais.

Outro motivo pelo qual as empresas passaram a investir na energia limpa e renovável é a posição competitiva que podem alcançar no mercado. A performance e posicionamento ESG das companhias são muito valorizadas por investidores, acionistas, clientes, fornecedores, sociedade e demais stakeholders.

Existe também a possibilidade de a empresa receber uma certificação relacionada à energia renovável que utiliza! É o caso do I-REC, um sistema global que rastreia atributos ambientais de energia para facilitar a contabilidade de carbono e funciona como um projeto de incentivo ao desenvolvimento desses sistemas renováveis.




Quais empresas usam energia limpa?

Com tantos benefícios econômicos e para o meio ambiente, diversas empresas do mundo inteiro aderiram à energia limpa como forma de fazer parte dessa transformação.

Entre as maiores e mais relevantes do mundo, temos Facebook e Google. Ambas firmaram compromissos de utilizar exclusivamente fontes de energia renováveis, em especial as energias solar e eólica.

O Google já investiu mais de 780 milhões de dólares em fontes renováveis de energia, além de construir edifícios completamente verdes.

No Brasil, a Magazine Luiza aplicou cerca de R$ 18 milhões para implementar o fornecimento de energia solar em 214 lojas. Outra gigante, o Mercado Livre, comporta a maior instalação de placas de energia fotovoltaica do país.

E a Raízen, além de fornecer serviços como a Geração Distribuída e estar presente em todo o país produzindo energia limpa, acabou de investir R$ 300 milhões em uma planta de biometano.

Isso quer dizer que a Raízen terá capacidade de produzir anualmente até 26 milhões de metros cúbicos de biogás renovável! Esse volume é suficiente para abastecer aproximadamente 200 mil residências.

Algumas empresas parceiras da Raízen também estão migrando para o uso de energia limpa. A Aegea Saneamento, por exemplo, mudou parte significativa de seu fornecimento elétrico para a energia fotovoltaica proveniente de painéis solares da Raízen em Piracicaba.

A rede de academias Smart Fit também adotou o uso de energia renovável por meio dos serviços de Geração Distribuída da Raízen. Além de reduzir a emissão de cerca de 370 toneladas de CO2 por ano, a rede conseguirá uma economia de R$ 1,5 milhão com energia elétrica. Avançamos juntos em inovação e sustentabilidade!



Como a inovação e a tecnologia podem contribuir para a geração de energia limpa e renovável?

Ocupando novos espaços do mercado! Ao inovar no uso da energia elétrica em outros setores além da eletricidade em si, é possível otimizar e incentivar ainda mais a produção limpa e renovável.

Bons exemplos disso são:

  • Os carros elétricos já podem ser carregados por energia 100% limpa pelo Shell Recharge. Até 2023, serão 35 eletropostos da rede, capazes de carregar as baterias de veículos elétricos em até 35 minutos!
  • A automatização do setor industrial por energia solar, diminuindo os custos operacionais e de eletricidade (indústria 4.0)
  • Os painéis fotovoltaicos orgânicos (funcionando à base de polímeros condutores) que, além de exigirem menos energia para funcionar em comparação aos painéis solares comuns, podem ser reciclados

É uma via de mão dupla: quanto maior for o investimento em novas tecnologias nesse setor, maior será a criação de soluções energéticas renováveis!

Essa não é uma conversa para o futuro: fornecer energia limpa e diversificar nossas matrizes é urgente, e nós fazemos parte dessa transformação.


Leia também: O que é mobilidade sustentável e como as cidades estão se adaptando a esse conceito?


Conheça a Raízen

Para garantir a energia que move o mundo, temos um ecossistema integrado e
único de atuação: desde a produção e venda de energia renovável e açúcar a partir
da cana-de-açúcar, levando também essa energia para diversos cantos no mundo.

Cadastre seu e-mail para ficar por dentro das últimas novidades.

Ao se inscrever você concorda com a política de prívacidade. E-mail cadastrado com sucesso!